Victoria 3

Victoria 3 é o mais recente jogo a passar pelas mãos da RTP Arena! Vamos explicar o que torna este jogo uma necessidade na biblioteca de qualquer fã de estratégia.

Victoria é uma das sagas de jogos de grande estratégia mais reconhecidas de sempre, a par de Hearts of Iron, Europa Universalis ou Crusader Kings. Este género sempre foi reconhecido pela sua capacidade de representação histórica e por testar ao máximo a capacidade de gestão dos jogadores, mesmo aqueles mais experientes em jogos de estratégia.

O jogo original, de 2003, não foi recebido da melhor maneira, recebendo críticas modestas, mas criando uma comunidade de culto. A sequela, Victoria II, elevou a credibilidade da série a um novo nível. Mesmo saindo em 2010, numa altura onde a estratégia estava longe de ser um género popular de videojogos, conseguiu uma boa receção, abrindo a esperança de um 3º título que só chegou em 2022.

À semelhança de outros jogos do género, Victoria 3 funciona como uma verdadeira lição de história, neste caso dedicada à era vitoriana. Cada nova campanha coloca nas mãos do jogador a tarefa de elevar a nossa nação ao nível de mais próspera do mundo em apenas 100 anos, entre 1836 e 1936.

Apesar de uma moldura de 100 anos parecer pouco para executar tudo o que o jogo nos exige, o tempo acaba por ser expandido se tivermos em conta que o jogo avança de dia em dia, incluindo manhã, tarde e noite em cada um. Isto dá ao jogador uma capacidade de gestão a longo prazo com mais tempo para pensar e tomar decisões, podendo sempre colocar o jogo em pausa para avaliar cada possível decisão e as suas futuras ramificações.

Iniciar um novo jogo significa também escolher uma das inúmeras civilizações disponíveis no jogo. Todas estas civilizações trazem os seus problemas consigo, sejam estruturais, sociais, ou militares que cada uma tenha no ano de início da campanha – 1836. Isto faz com que cada civilização seja um jogo completamente novo, com desafios novos, velhas alianças e inimigos, e necessidades completamente diferentes entre si.

O jogo é muito bonito comparando com outros títulos de grande estratégia mas é também muito mais confuso que os seus rivais. Apesar do foco ser feito em apenas cinco elementos chave: Política, Orçamento, Construção, Mercado e Poder Militar, cada um destes estende-se por várias ramificações e cruza-se constantemente nas decisões tomadas.

Isto exige, até aos mais experientes jogadores, uma atenção especial a cada decisão tomada e fez-me colocar o jogo em pausa várias vezes para avaliar as minhas decisões, especialmente na minha primeira campanha, onde afundei completamente a economia da Suécia em apenas 10 anos devido a uma má decisão da qual demorei 40 anos a recuperar.

Falando em economia, um dos pontos negativos que retiro deste jogo é o incentivo à quase total ausência de iniciativas militares. O foco de Victoria 3 é quase em exclusivo a economia do país, tornando-se por vezes um simulador de gestão de produto interno bruto, exigindo uma gestão minuciosa dos gastos e das entradas de capital.

Esta ausência de foco militar é notável especialmente quando iniciamos uma guerra com outra civilização e quase não há acompanhamento visual do que se está a passar. Tudo o que temos é uns elementos pequenos visuais na zona do conflito e uma lista de números a acompanhar o mesmo, tirando qualquer interesse deste método de vitória.

É fácil perder o foco entre os menus deste título que parecem autênticos tentáculos de um polvo. A quantidade de notificações e “missões” que nos são incumbidas também não ajudam à leitura de um ecrã que se torna assustador por vezes.

Por outro lado, a árvore de tecnologias é uma das mais simples dentro do género, permitindo uma evolução tangível das capacidades das nossa sociedade. Esta fase é dividida em apenas 3 opções e dependendo da civilização escolhida, grande parte das mesmas já vêm completas.

O Victoria 3 é um dos mais completos jogos de grande estratégia e, sem dúvida alguma, é o melhor jogo da saga Victoria. A sua complexidade pode ser dissuasora para novos jogadores, parecendo que é um jogo feito de fãs para fãs deste género.

É um título obrigatório para os fãs de grande estratégia e promete horas de micro e macro gestão para se alcançar uma vitória. Para os curiosos, existem campanhas de aprendizagem que promovem uma entrada mais confortável neste género que é dos mais interessantes dos videojogos, na minha opinião pessoal.


O Victoria 3 foi lançado no passado dia 25 de outubro em exclusivo para computador, compatível com macOS, Windows e Linux. Esta análise foi feita na versão Windows, da Steam.

Lê as últimas novidades dos esports aqui.

PUB