RTP Arena Picks

A RTP Arena Picks é a rúbrica da RTP Arena onde vamos dar a conhecer as nossas escolhas no mundo dos videojogos e dos esports.

Conta com uma coletânea de grandes títulos onde ficarás a conhecer um pouco mais daquilo que nos liga à indústria dos videojogos. Esta não é uma lista dos melhores de cada género mas sim daqueles que nos fazem parar quando ouvimos o seu nome.

Não haverão só listas de géneros de videojogos como também outras mais especiais que podem apimentar as coisas como melhores jogadas de esports ou momentos mais memoráveis. Tudo está em aberto na RTP Arena Picks e a única coisa que une as nossas escolhas é o amor por esta indústria.

Numa altura de regreso à escola ou ao trabalho, recordamos os jogos que a equipa andou a visitar ou revisitar nos seus descansos. 

Vê todas as nossas escolhas abaixo:


Commander Bonny – Devil May Cry 5

Verdade seja dita que lidando com jogos todos os dias, sobra pouca cabeça para jogar nas férias. É claro que esta frase é verdade nos primeiros dois dias (disse duas horas?) porque rapidamente vem o bichinho de começar algo de novo. Normalmente encosto-me aos jogos de estratégia ou à saga Dynasty Warriors para queimar tempo e desligar a cabeça mas desta vez segui um caminho diferente.

Regressei a uma das minhas séries de videojogos favoritas e voltei a passar o Devil May Cry 5, a última rendição da saga que nos traz a história de Dante, Vergil e todo o mundo que segue os dois irmãos. Não só regressei a este magnífico título como decidi tentar, sem sucesso diga-se, conquistar todos os troféus.

É um título que trouxe para as novas gerações toda a sagacidade, ação, intensidade e boa música que a série nos habituou. Voltar a jogar títulos Devil May Cry está a tornar-se um ícone meu de regresso às férias, tendo passado em anteriores toda a trilogia original, o Devil May Cry 4, o meu favorito, e o mal amado mas mal compreendido DMC.

Se ainda não começaram os vossos afazeres terrenos aconselho vivamente a darem uma oportunidade a esta saga e prometo que não se vão arrepender nem um bocadinho!


ghazz – Captain Claw

Numas férias que pouco tempo dediquei a jogos, houve um que claramente se destacou. Mas não é novo, e muito menos extremamente popular. É, na verdade, um clássico (pelo menos para mim).

Captain Claw é uma das melhores memórias que guardo da minha infância. Um jogo lançado em 1997 e que, ainda hoje, é dos mais difíceis que já joguei. Na altura, fui totalmente incapaz de o terminar e nem cheguei perto do fim.

Numa conversa com outros membros da equipa da RTP Arena surgiu o nome deste título onde os gatos e os cães estão numa luta pelo Amuleto das Nove Vidas (get it?). E dessa conversa, a vontade de o voltar a experimentar e, finalmente, tentar terminá-lo.

Uma coisa é certa – o jogo continua um dos mais difíceis títulos de plataforma que alguma vez joguei. Mas, agora com um olhar mais crítico, não foi apenas a nostalgia que me fez vibrar novamente com ele – o jogo é realmente bom.

Com isto, posso agradecer ao Claw não só pelas boas memórias de infância, mas também por estes últimos dias! E hey, alguém falou em “geração dos remakes”?


Sara Lima – Uncharted: The Nathan Drake Collection

Este verão regressei ao que é, para mim, um clássico: Uncharted: The Nathan Drake Collection na PS5.

Sempre ouvi dizer que o último (A Thief’s End) era o melhor (spoiler alert: para mim não foi!), por isso recuei no tempo e voltei ao primeiro (Drake’s Fortune) e ao segundo (Among Thieves). Joguei o primeiro título em 2012 e regressei às aventuras de Nathan Drake 10 anos depois.

É o meu ladrão preferido e desta vez, mau seria!, passei os jogos num instante. Não é difícil, verdade, mas traz-me boas recordações.

Agora fica o repto: com tantos lançamentos, com tantos jogos bons para experimentar, talvez seja melhor voltar ao Uncharted novamente daqui a outros 10 anos, não acham?


Kazac – Yu-Gi-Oh!: Masters Duel

As minhas férias não tiveram grande variedade a nível de jogos mas existe um que recebeu a maioria da minha atenção – o Yu-Gi-Oh! Master Duel.

Lançado no início deste ano, o simulador baseado no popular jogo de cartas criado por Kazuki Takahashi em 1999 transformou-se numa experiência nostálgica, o regresso a outros tempos onde se colecionava estas cartas e se jogava com amigos.

Afastado do Yu-Gi-Oh! há muitos, muitos anos, o Master Duel permitiu-me ter contacto novamente com o jogo e aprender as suas novas mecânicas, invocando memórias da minha infância e gerando muito entretenimento.

Com um bom sistema de aprendizagem implementado e recompensas generosas para jogadores F2P, o jogo tem sido uma boa escolha para ocupar tempo e estimular o pensamento devido à sua componente estratégica.


Que achaste das escolhas da nossa equipa? Algum jogo que consideres que devia estar nesta lista? Conta-nos tudo nos comentários!

Esta nova rúbrica volta em breve com mais escolhas da tua equipa da RTP Arena e também alguns convidados surpresa. Há algum género que estejas curioso de saber a nossa preferência? Deixa nos comentários e pode ser que figure o próximo RTP Arena Picks!

Lê as últimas novidades dos esports aqui.

PUB