cloud9 overwatch league

Está de volta a maior competição de Overwatch do Mundo e a primeira semana está terminada.

Para além dos jogos, muitas eram as expectativas para a nova temporada que se apresentou com algumas novidades. Desde logo o anunciado Command Center que permite ver o jogo de maneiras nunca antes vistas, com as câmeras individuais de cada jogador e a capacidade de desenharmos o nosso próprio canal de visualização.

Outra novidade é a ausência de mesa de análise ao fim de cada jogo. É feita na mesma uma síntese do que se passou mas de forma resumida e atacando apenas uma ou duas jogadas chave. O famoso Watchpoint passou agora a ser um programa pré e pós espectáculo onde são feitas as ante visões e posteriormente a análise a toda a acção.

Em termos de Overwatch propriamente dito ficaram fortes pistas para o que as próximas semanas nos reservam. Foram 8 as equipas estreantes e muitas as surpresas nos resultados, mas mais importante do que os resultados nesta primeira semana, foram as notas a retirar, que são muitas.

Dia 1

O primeiro dia abriu com alguns dos jogos mais interessantes, pelo menos em teoria, pois foram colocadas frente a frente algumas das equipas mais fortes da época passada.

Resultados:

  • Philadelphia Fusion 3 – 1 London Spitfire

Os Fusion apresentaram-se com um line-up praticamente sem alterações desde a época passada contra uns London Spitfire enfraquecidos neste novo meta, e conseguiram mostrar superioridade tanto em equipa como individualmente. Logo no primeiro jogo, os Fusion mostraram total intenção de lutar pelo título que lhes escapou das mãos na primeira temporada. Muito pouco deu para ver por parte dos Spitfire e nenhuma das suas estrelas foi capaz de fazer a diferença.

  • New York Excelsior 2 – 1 Boston Uprising

Os New York Excelsior, à semelhança dos Spitfire, apresentaram-se enfraquecidos a jogar na táctica GOATS, talvez porque à semelhança da equipa de Londres, contavam muito com os seus jogadores DPS para fazer a diferença. Os Boston Uprising, no entanto, entraram na nova liga com um plantel praticamente todo renovado e nota-se claramente que os jogadores não estão alinhados entre si.

  • Seoul Dynasty 3 – 1 Los Angeles Gladiators

Tanto os Seoul Dynasty como os Los Angeles Gladiators entraram na nova temporada sem grandes alterações nas equipas. Ambas as formações estão fortes no novo meta-game e os jogos decidiram-se pelo conhecimento dos mapas, mais do que pela capacidade de cada uma. Como pequena curiosidade deste jogo, a Symmetra fez dano a outro herói pela primeira vez em toda a Overwatch League.

  • Shangai Dragons 1 – 3 Hangzhou Spark

Ao quarto e último jogo do dia, entrou em campo uma das novas 8 equipas que alinham na Overwatch League, os Hangzhou Spark. No primeiro “derby Chinês” da liga, esperava-se uns Shangai Dragons renovados, mas apesar das alterações no plantel, pouco mudou na sua maneira de jogar. Os Hangzhou Spark no entanto, pouco mostraram também, e apesar dos jogos terem sido renhidos, não se viu Overwatch de qualidade.

Dia 2

O segundo dia foi aquele com o maior número de estreias, 4 no total, e foi também um dia para os jogos menos ortodoxos. Destaque para a entrada forte dos Toronto Defiant.

Resultados:

  • Toronto Defiant 3 – 2 Houston Outlaws

A primeira equipa do Canadá a entrar em cena foram os Toronto Defiant que defrontaram os texanos Houston Outlaws num dos jogos mais interessantes até agora. A equipa americana começou por estar a vencer por 2-0 em mapas, sempre com jogos muito renhidos, mas tudo mudou ao intervalo. Os Toronto Defiant, claramente liderados pelo coreano Envy, voltaram com a intenção de dar a volta e conseguiram. Assistimos ao primeiro reverse sweep da segunda temporada com 5 jogos intensos.

  • Atlanta Reign 4 – 0 Florida Mayhem

O segundo jogo da noite colocou o penúltimo classificado da liga passada contra os novatos Atlanta Reign liderados por Dafran, um dos jogadores mais queridos do público. O primeiro mapa, Illios, foi um passeio no parque para a equipa de Atlanta, e os restantes jogos, apesar de contestados, nunca estiveram realmente em risco. Os Florida Mayhem à semelhança dos Shangai Dragons, sofreram grandes alterações de plantel mas continuam sem mostrar a mesma qualidade que muitas das equipas presentes na liga. Ainda é cedo e foi o primeiro teste para a renovada equipa mas a derrota por 4-0 contra uma equipa estreante não deixa um bom pressagio.

  • Dallas Fuel 0 – 4 San Francisco Shock

O inicio para os Dallas Fuel não poderia ter sido pior. Durante o decorrer do jogo, apenas se viu San Francisco Shock, completamente à vontade no meta-game, a destruir qualquer tentativa de resistência pelos Fuel. Difícil saber se os Shock estão de saúde apenas por este jogo porque a equipa da chama azul não fez qualquer oposição. A capacidade de troca de heróis pelos jogadores DPS dos shock, bem como a qualidade que têm no banco, são pontos a temer nesta equipa.

  • Chengdu Hunters 3 2 Guangzhou Charge

O segundo “derby chinês” e possivelmente o jogo onde se viu ser jogado o Overwatch mais estranho da semana. O tank de eleição foi o Hammond, um dos supports mais utilizados foi a Ana e praticamente todos os heróis DPS foram utilizados. Muitas vezes o jogo de equipa foi posto de lado em nome das individualidades dos jogadores. Ambas as equipas encaixaram bem no estilo de jogo uma da outra, mas se estas são as suas tácticas, não sei como vão competir contra GOATS, Dive ou Bunker.

Dia 3

As últimas estreias ocorrem durante o 3º dia. Vimos algumas surpresas nos resultados mas mais do que isso, foram possíveis identificar fraquezas em equipas tidas como fortes e grandes capacidade em estreantes.

Resultados:

  • London Spitfire 1 – 3 Paris Eternal

Este jogo foi a prova da fraqueza dos London Spitfire no sistema GOATS, sem a Widowmaker de Birdring ou a Tracer de Profit esta equipa parece um peixe fora de água. Não se pode tirar mérito aos Paris Eternal no entanto, uma das equipas estreantes na liga derrotou de forma convincente os campeões em título e deixaram boas impressões, especialmente ao nível dos seus jogadores DPS. Soon foi uma peça chave na vitória da equipa. Infelizmente ainda não foi desta que vimos o português Luís “Greyy” Perestrelo em acção, mas garantidamente a sua equipa terá uma palavra a dizer durante a primeira fase.

  • Washington Justice 1 – 3 New York Excelsior

A última formação estadunidense a estrear-se na liga foram os Washington Justice, e foram também a estreia mais decepcionante. Apesar de lutarem no primeiro jogo contra os gigantes New York Excelsior, não foram capazes de mostrar capacidade de rivalizar contra a equipa de Nova Iorque, que mais uma vez se mostra uns furos abaixo da sua capacidade normal. Os NYXL começaram a ter perdas de performance no final da temporada passada e parece que essa quebra não está ainda recuperadaMeko provou aqui ser o motor dos NYXL no inicio da nova liga e tem levado a equipa às costas.

  • Los Angeles Valiant 2 – 3 Hangzhou Spark

Esta foi a prova de fogo para os Hangzhou Spark e pode-se dizer que passaram com distinção. Os Los Angeles Valiant mostraram grande capacidade de adaptação ao novo meta e o Off-Tank Space é claramente uma das peças chave da equipa que se mostrou com muitas novidades no line-up inicial. Os jogos foram renhidos e a série acabou decidida por uma maior capacidade dos Hangzhou Spark de jogar em mapas de controlo.

  • Vancouver Titans 4 0 Shanghai Dragons

Entrada monstruosa dos Vancouver Titans na liga. Se os Shangai Dragons já tinham demonstrado sofrer das mesmas fraquezas que tinham na temporada passada, aqui nem tempo de falhar tiveram. Apesar de só termos visto 1 jogo da equipa canadiana, esta mostrou-se uma verdadeira titã no novo meta-game e deixou notas fortíssimas nas suas individualidades.

Dia 4

O último dia foi aquele onde se verificaram os melhores jogos. Foram jogados por 3 vezes tiebreakers e o velho meta 2-2-2 esteve em evidência nas decisões mais difíceis.

Resultados:

  • Houston Outlaws 2 – 3 Boston Uprising

Tanto os Houston Outlaws como os Boston Uprising entraram em campo com uma derrota no cartório e nenhuma das equipas queria terminar a semana com 2 derrotas em dois jogos. Tal como no primeiro jogo os texanos não apresentaram surpresas nos seus line-ups. Do outro lado, a equipa de Boston foi mais ortodoxa na sua escolha de jogadores, trazendo de volta muitos dos veteranos da primeira temporada que não se tinham apresentado contra os Seoul Dynasty. Os Houston Outlaws tentaram forçar várias vezes a mudança de táctica pelos Boston Uprising, investindo no 2-2-2 mas a equipa azul queria apenas vencer e raras foram as vezes em que um herói DPS apareceu do lado deles. A diferença deste jogo fez-se pelo número de Tanks existentes no plantel azul e amarelo contra a dificuldade dos DPS dos Outlaws se adaptarem à utilização de Tanks no meta GOATS. Os Houston Outlaws mostraram-se fortes mas pouco à vontade com o novo meta-game.

  • Philadelphia Fusion 3 – 2 Atlanta Reign

Este foi o jogo que pôs à prova duas das equipas que parecem estar mais preparadas para atacar a fase 1. De um lado os finalistas derrotados da liga passada e do outro a nova equipa maravilha da Overwatch League. Se os Atlanta Reign não fossem novatos na liga, diria que este era um confronto de colossos. A capacidade de adaptação dos jogadores DPS da equipa de Atlanta é impressionante, correspondendo sempre às mudanças de ritmo e táctica dos Fusion. Os Reign viram-se forçados pelos veteranos de Philadelphia a alternar em 2-2-2 e 3-3 várias vezes durante a série. Esta foi a série onde a experiência falou mais alto e foi decisiva no final. Poko e Carpe foram os jogadores que fizeram toda a diferença no pesar da balança a favor dos Philadelphia Fusion.

  • San Francisco Shock 2 – 3 Los Angeles Gladiators

Se o jogo com os Fuel não tinha sido suficiente para ver a força dos novos Shock então tivemos aqui a verdadeira prova. Gladiators e Shock entraram com tudo neste jogo que foi até à 5ª ronda. Os Gladiators não queriam começar a liga com um menos bom, 0-2, e os Shock queriam mostrar que vieram para reconquistar o público. Não houve descanso para as duas equipas e foi provavelmente um dos melhores encontros da semana, senão o melhor. Todos os mapas foram jogados até ao último momento e as decisões foram maioritariamente fechadas nos pequenos erros dos Tanks de cada equipa. Os gladiadores púrpura saíram por cima mas os Shock cumpriram e são uma das equipas a temer nesta fase. Biggoose foi a chave para desbloquear a série.

  • Seoul Dynasty 1 – 3 Dallas Fuel

Os Dallas Fuel parecem sofrer de uma espécie de bipolaridade nesta altura. Se no primeiro jogo nada fizeram contra os Shock, aqui deram uma lição de Overwatch a uma das equipas mais temidas da liga. Os resultados dos mapas que à primeira vista parecem renhidos, mas na verdade para quem viu, nunca fugiram do controlo dos Fuel. Até na derrota da equipa de Dallas em Volskaya o jogo parecia estar sob controlo, tendo sido decidido por um excesso de confiança da equipa azul. Uma das jogadas da noite aconteceu neste jogo quando AKM desbloqueia a defesa em Kings Row dos tigres dourados com um triplo headshot de Widowmaker.

Assim se fechou a primeira semana da Overwatch League com grandes jogos e a promessa de uma enorme liga que será acompanhada na sua totalidade pela RTP Arena. Podem ver toda a classificação da primeira semana aqui.

Lê as últimas novidades dos esports aqui.

PUB