Warzone
Fotografia: Activision

Call of Duty: Warzone foi lançado há pouco mais de um ano e rapidamente se tornou num dos maiores sucessos da gigante Activision. Talvez tenha sido a fórmula Battle Royale que estava na moda no motor de Call of Duty aliado ao famoso formato Free-to-Play, ou talvez tenha sido uma experiência de jogo bem polida… a verdade é que a aposta funcionou!

Warzone não foi, no entanto, o primeiro Battle Royale da franquia Call of Duty, tendo sido lançado dois anos depois do Blackout, a versão Battle Royale da Treyarch, uma das produtoras do shooter da Activision. Mas a adesão nunca foi tão grande quando comparado a Warzone, provavelmente por ser necessária a compra do Call of Duty: Black Ops 4 para a disfrutar.

Naturalmente, um jogo com tanto sucesso acabou por dar origem a uma comunidade mais dedicada e competitiva. Até então, o cenário competitivo de Call of Duty dos últimos 10 anos estava bastante saudável, com um foco principal nos Estados Unidos da América, tendo 2019 sido também o ano inaugural da CoD League, uma liga milionária que contava com algumas das melhores equipas e jogadores do mundo.

Mas o Warzone ficou sempre visto como uma experiência mais casual da Activision. Mas essa pequena comunidade competitiva começou a crescer em Portugal…

José Moura, fundador da Gamersarena, é uma das pessoas responsáveis por grande parte deste crescimento. Inserido na comunidade competitiva de Call of Duty há longos anos, o “Zé” (como gosta de ser tratado) viu em Warzone uma oportunidade de criar algo seu para dar à comunidade.

A Gamersarena é, neste momento, a principal fonte de competições da comunidade nacional, comprometendo-se à organização de torneios semanais de Warzone, onde já chegaram a contar com mais de 500 participantes num só, neste mês de março!

Claro que nem tudo é bom, até porque mesmo o suporte oficial da Activision é quase inexistente. Mas isso não impede que a comunidade se junte para conseguir organizar eventos de sucesso, que recentemente contam até com o apoio da solverde.pt.

A maior parte dos torneios acabam por ser disputados em servidores públicos, apesar de já terem existido esforços por parte da Gamersarena para que estes fossem disputados em privados, contando apenas com a presença das equipas inscritas. No entanto, constantes bugs que ainda não foram resolvidos dificultam essa tarefa… mas nem isso demove a comunidade apaixonada pelo jogo!

A adesão é cada vez maior, não só a nível de participantes nas competições, mas também em termos de visualizações na Twitch. Apesar da comunidade competitiva não ser obrigatoriamente a mesma que a de criação de conteúdo, estas acabam por andar de mãos dadas, o que acaba por impulsionar ainda mais o crescimento.

São cada vez mais os streamers conhecidos no seio da comunidade que vão criando uma marca própria através do Battle Royale. Um desses exemplos de crescimento é a Tatiana “MissWilliams18” Almeida, que se lançou ao mundo do Warzone e da Twitch pouco tempo após o lançamento do jogo.

Desde então, a jogadora da Margem Sul tem visto a sua comunidade crescer a um bom ritmo, sendo acompanhada diariamente por várias dezenas, ou até centenas de pessoas, tendo também já estado envolvida na produção de eventos como comentadora.

Também da opinião que o jogo tem um potencial gigante, mas que infelizmente não conta com o apoio certo por parte da Activision, a Tatiana continua a fazer a sua parte para impulsionar o crescimento da comunidade.

Comunidade essa que, apesar de concordar que tem o seu lado mais negro (como muitas outras), a maior parte é extremamente positiva e inclusiva, afirmando mesmo já ter feito amigos para a vida com o Warzone e com a Twitch.

Infelizmente, ainda não se chegou a um ponto em que existam equipas ou jogadores totalmente profissionais no que toca a competição de Warzone, sendo o rendimento de alguns dos jogadores mais populares, como é o caso do Suedzz (um dos melhores e mais populares jogadores nacionais de Warzone), recebido através da Twitch e de serviços de coaching.

O que será necessário para que o Call of Duty: Warzone dê o próximo grande salto?

O crescimento é notável, os apoios começam a surgir e a tocha parece estar a ser bem erguida por vários membros da comunidade. Desde o José Moura que consegue juntar mais de uma centena de pessoas a competir todos os fins-de-semana até à MissWilliams18, que traz um lado mais descontraido para o jogo, o Warzone está extremamente saudável em Portugal e o futuro parece brilhante para o Battle Royale!

Será Warzone o próximo grande Battle Royale competitivo e a próxima grande modalidade de esports?

Os jogadores que possam estar interessados em juntar-se a esta comunidade podem encontrar todas as informações necessárias no site da Gamersarena, assim como entrar em contacto com a mesma através das redes sociais!

A MissWilliams18 também está pronta para ajudar a guiar qualquer pessoa a entrar neste mundo do Warzone, estando em directo na maior parte das noites no seu canal da Twitch!

Lê as últimas novidades dos esports aqui.

PUB