EA

A Electronic Arts (EA) foi alvo de um ataque informático nos seus servidores, avançando à Motherboard que a privacidade dos seus jogadores não está em risco.

A informação foi apurada por Joseph Cox, jornalista que obteve uma resposta oficial sobre este acontecimento por parte da produtora, confirmando que sofreu uma violação de dados e que a informação listada pelos infratores está correta.

Entre os 780GB de dados que os hackers conseguiram obter, os mesmos referem que possuem o código-fonte do FIFA 21, do serviço de matchmaking e da Frostbite Engine, incluíndo também SDKs (Software Development Kits) da empresa.

Os infratores estão a tentar vender a informação em fóruns dedicados e afirmam que o comprador terá “capacidade total para tirar partido dos vários serviços da EA”, já a produtora reforçou a segurança e não espera impacto nos seus jogos ou negócios.

A trabalhar junto das autoridades competentes, a EA já lançou uma investigação criminal sobre o sucedido, assegurando que os dados pessoais dos seus jogadores não foram acedidos e que não há razões para acreditar que existem riscos à privacidade.

Lê as últimas novidades dos esports aqui.

TÓPICOS

PUB