fer imperial
Fotografia: Joao Ferreira | SC PGL Esports S.R.L.

Fernando “fer” Alvarenga aproveitou uma livestream para explicar as razões que levaram ao adeus à Imperial, levantando ainda o véu relativamente ao possível final de carreira.

Depois de ter anunciado o fim da ligação à Imperial, “fer” acabou inevitavelmente por ser confrontado com muitas perguntas sobre o possível ponto final de carreira que agora veio a público negar.

“Não diria isso. É muito difícil dizer que me aposentei e que nunca mais vou jogar. Nunca estive nessa situação, então, por exemplo, se a temporada começa e eu vir que me dá vontade de jogar, eu volto. Parei porque quero curtir outras coisas na vida”, referiu o rifler brasileiro.

Fernando Alvarenga sublinhou ainda que já desde abril que procurava voltar a casa para estar mais tempo com a família e amigos. Problemas com a saúde da mãe acabaram por antecipar o adeus à equipa, que podia até ter acontecido em 2022.

Os primeiros sinais da possível separação começaram em abril de 2022, adiantou o antigo campeão do Mundo de CS:GO. “Se eu tivesse perdido alguém da minha família enquanto estivesse lá fora, nada teria valido a pena para mim”, disse.

“Eu fiz três coisas na vida: escola, faculdade e joguei CS. Não fiz mais nada”, explicou antes de dizer que agora era altura de passar mais tempo com os pais, irmãos e olhar também a novas amizades e relacionamentos. “Quero curtir outras coisas, ver o que a vida tem de interessante além do jogo”, concluiu.

Com o futuro a ser, agora mais, uma incógnita no que ao CS:GO diz respeito, “fer” não atirou assim a toalha ao chão deixando em aberto um possível regresso ao cenário competitivo.

Lê as últimas novidades dos esports aqui.

TÓPICOS

, ,
PUB