racismo impact league csgo valencia
Imagens: Dust2.br

Um adepto que tinha sido apontado como português pela imprensa brasileira e que estaria a apoiar a Nigma Galaxy durante a final da ESL Impact League frente à FURIA foi acusado de racismo por ter alegadamente chamado de “macacos” os adeptos brasileiros e foi banido do evento.

As informações iniciais do site brasileiro Dust2 davam conta de que o apoiante era português e teria utilizado um termo racista – macacos – dirigido à plateia brasileira, mas o adepto negou tais afirmações. Segundo o que a RTP Arena apurou através de elementos presentes na competição, o visado era um adepto espanhol da Nigma Galaxy.

Segundo o acusado, o termo utilizado terá sido “maraco”, que em espanhol é usado para ofender homossexuais, sublinha a mesma publicação. A streamer que estava a transmitir o evento, Natacha “Nahzinhaa” Fanganiello, terá reportado o caso à ESL e a organizadora já afastou o acusado do palco onde decorria a final feminina de CS:GO.

Pelo menos uma jogadora da MIBR também comentou o caso no Twitter: “e a fanbase da Nigma chamando os br de macaco???”

A organização reagiu já através do Twitter e confirmou que baniu o apoiante do recinto do evento, mostrando-se contra qualquer ato de racismo: “Nós removemos a pessoa que cometeu os atos do evento. Nossos festivais tem uma política de zero tolerância com casos de racismo contra jogadores ou outros fãs”.

Lê as últimas novidades dos esports aqui.

PUB