Saltar ligações

YNG Sharks reagem à vitória sobre os North na ESL Pro League

Por RTP Arena em

Os Sharks surpreenderam os North ao vencer a organização dinamarquesa por 2-0 em jogo da lower bracket das finais da oitava temporada da ESL Pro League.

Logo a seguir à vitória, falámos com o treinador dos tubarões, Hélder “Coachi” Sancho,  para saber como estava o estado de espírito da equipa após a vitória.

helder coachi sancho sharks north

Hélder “Coachi” Sancho

O que significa esta vitória?
“Tem um significado muito grande para nós! Hoje em dia é muito difícil uma equipa vir do zero, como nós, que trouxemos uma equipa desconhecida de miúdos para trabalhar em Portugal e fazê-la chegar ao topo mundial. Sempre acreditámos que seria possível e participamos nestes torneios para ganhar a estas grandes equipas. Somos muito ambiciosos, por isso esta vitória dá-nos a noção de que estamos no bom caminho e a trabalhar para conseguir este tipo de resultados”.

Achas que foram subestimados. Se sim, porquê?
“Acho não fomos subestimados. Nós treinamos e jogamos regularmente contra muitas destas equipas. Já batemos algumas destas equipas nos treinos e fica no subconsciente que somos uma equipa que sabe jogar bem, que tem boas táticas e bom skill individual. Já tínhamos ganho um mapa aos Cloud9. Obviamente que não éramos favoritos contra uma equipa tão boa que, no último grande torneio, esteve numa meia-final e que tinha ganho no Inferno aos MIBR. Hoje fomos capazes de lhes ganhar. Vistos como underdogs sim, claramente”.
Como foi a conversa com a equipa depois da derrota de ontem?
“Nós colocámos uma grande pressão no jogo de ontem contra os MIBR. Acreditámos que podíamos fazer diferente e falhámos muitas táticas. Jogámos mal, não só pelo resultado em si, porque houve rondas que podiam ter sido mais apertadas ou equilibradas… mas pelo CS que apresentamos, porque não é o CS que jogamos. Sentimos que essa pressão afetou um pouco os jogadores e taticamente não conseguimos apresentar aquilo que planeámos. Hoje tentámos deixar os jogadores mais relaxados e mais confiantes. Passar-lhes a mensagem de que são realmente muito bons e de que podem ganhar a qualquer um. E acho que a mensagem entrou, jogaram mais confiantes, o nosso jogo tático resultou e o resultado foi o que todos nós vimos”.
Objetivo para amanhã?
“O objetivo dos Sharks é sempre ganhar. Não interessa o adversário. Nós estamos a jogar contra os Tier 1 do mundo e estamos aqui para ganhar. Estamos a colocar em nós esta pressão de ganhar. Nós sabemos que é dificíl, sabemos que somos os underdogs e que a obrigação de ganhar está do outro lado. Queremos mostrar o nosso jogo, trabalhamos muito, somos uma equipa muito humilde, uma equipa que dá o litro, uma equipa de gente que quer chegar ao topo e amanhã vamos tentar mais uma vez mostrar o nosso CS. Um bom nível de CS para conseguir mais um bom resultado e um bom resultado é a vitoria, mas sabemos que pode não ser possível porque temos adversários de muito valor”.
Tens preferência entre mouseesports e Na’Vi?

“Sinceramente não tenho preferência entre mouse e Na’Vi. Considero que são duas equipas bastante equilibradas, sendo que os Na’Vi estão um pouco acima dos mouse, mas não vejo que seja uma grande diferença para nós. Vamos ter de estar bastante concentrados como hoje e focados da mesma maneira como estivemos contra os North, para tentar fazer um bom jogo contra estas equipas. É um grupo um pouco ridículo porque enfrentamos MIBR e North e, a seguir, temos Na’Vi ou mouse… por isso vamos dar o nosso melhor e tentar fazer um bom jogo amanhã”.

Carlos Martins, médico e mental trainer, RCF, Coachi, leo_druNky, exit, nak, Jnt e João Duarte. A fotografia, curiosamente, foi tirada por Richard “shox” Papillon, jogador dos G2 Esports.

Também João Duarte, CEO dos YNG Sharks, comentou o resultado:
“É uma vitória monstruosa da nossa equipa de CS e da nossa organização. Face às equipas que aqui estão, colocámos a fasquia muito alta ao dizer que viemos para ganhar jogos e para chegar o mais longe possível na competição. Perder por poucos ou ganhar um mapa não é suficiente. Os YNG Sharks têm de saber viver com esta pressão, mesmo em torneios onde as probabilidades estão totalmente contra nós. Queria agradecer aos nossos jogadores, ao nosso staff pelo trabalho, aos nossos patrocinadores YNG, AOC, Alpha Gamer e Pump, e a todos os fãs e comunidade portuguesa e brasileira que estão a acompanhar-nos no sonho. Não queremos parar por aqui e amanhã há mais. Obrigado à RTP Arena e aos outros media que ajudam a puxar os esports para cima”.

Renato “nak” Nakano:
“Estou muito orgulhoso do time inteiro. Mesmo depois de um primeiro dia apagado, conseguimos recuperar e mostrar um nível muito bom hoje. Agora precisamos de manter o foco, porque já vimos que e possível vencer os maiores. Basta ter confiança e acreditar no nosso jogo”.

Coachi remata ao dizer:
“Acho que é importante dizer isto aos portugueses do mundo do gaming e não só. É possível fazer-se muito com pouco. É possível tombar gigantes como nós tombámos hoje. Menos desculpas, mais trabalho. Parar de procurar justificar as falhas. Trabalhar muito para atingir este tipo de resultados. É importante passar esta mensagem: é possível que clubes menores façam tombar clubes gigantes, como nós fizemos hoje.”

 

Lê as últimas novidades dos esports aqui.